Você está em:

Gestão de estacionamento rotativo

Você pode nunca ter ouvido falar em estacionamento rotativo, mas com certeza tem familiaridade com o termo zona azul, certo? Estacionamento rotativo ou zona azul são apenas nomes diferentes para descrever o mesmo serviço: vagas determinadas em ruas que podem ser usadas pela população, mediante pagamento de uma taxa previamente fixada pela prefeitura da cidade ou pela empresa responsável.
Gestão de estacionamento rotativo

Nas grandes cidades, onde a quantidade de veículos com apenas uma pessoa é crescente, é comum que a busca por vagas nas ruas se torne um transtorno para os motoristas, fazendo com que muitos desistam de se locomover com seus veículos e optem pelo transporte público. Em regiões movimentadas, próximas a pontos turísticos ou de serviços, a procura é ainda maior, o que torna o estacionamento rotativo uma forma de minimizar esse problema e de oferecer mais comodidade aos motoristas, sejam eles moradores ou turistas.

Mas afinal, o que é o estacionamento rotativo? O estacionamento rotativo é constituído de vagas fixas no meio-fio das vias públicas com rotatividade obrigatória, ou seja: espaços demarcados para os quais é necessário pagar por tempo de uso.

A cobrança de uma pequena taxa por hora permite que mais carros possam usar a vaga rotativamente (por um determinado período pré-estabelecido), o que explicaria a própria nomenclatura do estacionamento rotativo. Quando o tempo afixado no pagamento expira, é necessário retirar o veículo do local para que outra pessoa possa, então, usar a vaga.

Entenda o pagamento do estacionamento rotativo

Para usar o estacionamento rotativo é necessário pagar um valor, que é definido por tempo, estipulado de acordo com a intensidade do tráfego de veículos na cidade onde o serviço está implementado.

Nas grandes metrópoles, como é o caso da cidade de São Paulo, o tempo máximo de uso do estacionamento rotativo varia entre duas horas, quatro ou seis horas, dependendo do local onde o veículo será estacionado. Para garantir o fluxo da vaga, muitas vezes nem mesmo renovando o pagamento é possível permanecer com o carro estacionado por mais tempo no mesmo local.

A PareBem, por exemplo, conta com o EXP Smart Parking uma empresa jovem e inovadora que enxerga, no conceito de cidades inteligentes, uma grande oportunidade para crescer e ajudar a sociedade a melhorar as questões de mobilidade e desenvolvimento, oferecendo mais qualidade de vida para seus cidadãos. EXP Parking é uma empresa do Grupo PareBem. Entre em contato e conheça a nossa solução.

Estacionamento rotativo: quem administra?

O estacionamento rotativo é gerenciado pelas prefeituras de cada cidade, mas algumas administrações optam por contratar empresas terceirizadas de estacionamento, já que a Constituição garante esse direito aos municípios.

Contar com empresas especializadas em estacionamento rotativo — como o serviço ofertado pela PareBem, por meio da EXP — e com equipes dedicadas para gerenciar os estacionamentos rotativos é uma das formas de assegurar o bem-estar dos motoristas e de aumentar a qualidade de vida nas cidades.