Você está em:

Estacionamentos gEpark têm novo dono

Grupo Pare Bem planeja aquisição de outras garagens no Rio, perto de metrôs

Ipanema: Loja é uma das 67 no Rio - Marcos Tristão / Arquivo

Ipanema: Loja é uma das 67 no Rio – Marcos Tristão / Arquivo

SÃO PAULO – O grupo Pare Bem, adquirido pelo Pátria Investimentos em junho de 2015, comprou a operação da rede de estacionamentos carioca gEpark e assumiu o controle do negócio no mês passado. A informação, obtida com exclusividade pelo GLOBO, é do CEO do Pare Bem, Roberto Cerdeira. O investimento, feito a partir do fundo de infraestrutura do Pátria, que detém US$ 1,8 bilhão, faz parte da estratégia da instituição de investir em estacionamentos, inciada com a compra do Pare Bem. O valor do negócio não foi revelado.

— Escolhemos a gEpark porque é uma empresa muito tradicional no Rio e que tem a excelência na prestação do serviço como um diferencial em relação a seus competidores. Além disso, o fundador da empresa já é mais velho, tem mais de 60 anos, e não tinha sucessores. A nossa associação ficou interessante, mantemos o time dele, que tem excelência de qualidade, com o nosso potencial de investimento e o know-how tecnológico do Pare Bem — afirmou Cerdeira.

BANDEIRA E LOGO PERMANECEM

Com a compra da gEpark, o Pátria soma desembolso total de R$ 150 milhões no segmento de estacionamentos. Cerdeira afirmou que, a princípio, o design dos estacionamentos gEpark não muda. Eles continuarão com a mesma bandeira e logo. As melhorias serão notadas pelos usuários, segundo ele, no dia a dia, sobretudo com a implementação de tecnologias nos estacionamentos já operados pela empresa.

— A tecnologia possibilita reduzir significativamente os custos operacionais, além de estabelecer uma política de transparência com o cliente por meio do acompanhamento em tempo real dos indicadores de performance da garagem — acrescentou o executivo.

No total, a gEpark tem 67 estacionamentos, com 17 mil vagas. O objetivo do Pátria é fazer a rede crescer “significativamente no Rio”, tanto por meio de operações próprias, com a compra de terrenos e a construção de estacionamentos, quanto com a concessão de longo prazo de locais privados. Um exemplo que já está em operação é a administração dos estacionamentos dos Hospitais Samaritanos no Rio.

Com essa aquisição, o grupo Pare Bem passa a administrar 172 estacionamentos com 90 mil vagas e empregar duas mil pessoas. Quando o Pátria entrou no negócio, o grupo detinha 44 estacionamentos, 30 mil vagas e 600 empregados.

DE OLHO EM OITO GARAGENS

O Pátria segue de olho em outras aquisições no Rio, que devem ser feitas por meio do grupo Pare Bem e com o capital do fundo de infraestrutura. Cerdeira adiantou que um ativo que está no foco do grupo são estacionamentos ligados à mobilidade urbana, com conexões, por exemplo, com o metrô. Segundo ele, já foi publicada no Diário Oficial a intenção da prefeitura de licitar oito garagens subterrâneas em algumas regiões da cidade, como as próximas ao metrô Barra, à Praça General Osório, à praça do Lido, e outras.

— Isso é algo em que temos total interesse, são centenas de milhões para investir, e a Pare Bem está de olho. É um bom investimento para nós e poucas empresas têm capacidade para fazer — afirmou.

POR

Fonte: O GLOBO